segunda-feira, 16 de novembro de 2009

A IMPORTÂNCIA DA HISTÓRIA MATEMÁTICA NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA


As causas da importância para o ensino tecnicista que recebemos e com os quais muitos de nós usamos como modelo de aula, têm suas raízes no movimento que recebeu o nome de Matemática Moderna (décadas de 60 e 70), veja que nesses anos muitos de nossos professores do ensino fundamental e médio cursavam suas faculdades de onde se formaram para professores. Esse modelo foi fielmente seguido, só então, a partir da década 80 uma nova visão foi agregada ao ensino e concepção da Matemática. Com um currículo voltado basicamente as questões técnicas de uso da Matemática, muitos cursos de graduação, não se interessaram pela colocação de uma matéria dita histórica na sua grade, uma vez que, servia apenas como mera curiosidade de natureza estritamente factual.
Sabemos hoje que a finalidade e se promover a metacognição também é uma necessidade em Matemática, e vemos que a História de suas origens bem como o enredo de sua evolução são elementos primordias para seu metaconhecimento (conhecimento que tem de si mesma). Ensinar nos dias de hoje não está mais impregnado de transferir mais sim de se construir, é preciso haver percepção a significação técnica, cultural, social e humana da qual se reveste a Matemática.
Imprimir historicidade ao ato de ensinar a Matemática, é mostrar que ela não é um fim em si mesma, que ela não se apresenta num quadro axiomático e estático, que não se encontra mais num mundo a parte averso à realidade da Humanidade. É preciso ver além da simples resposta de algo que surge a partir de necessidades cotidianas, que vai muito além da mera observação. Que não se resume a fórmulas e demostrações com modelos algébricos, que há uma complementariedade entre as partes que há compõe (álgebra, aritmética, geometria, trigonometria), que embora separadas por extensão compõem um todo único no saber. É preciso dar e não dar finalidades para suas criações, não subalterná-las a esta ou aquela área do conhecimento, mas sim mostrá-la como parte do todo. É preciso que se constate uma ciência de todos os possíveis movida não só de por quês mas também se e se... Contudo, é preciso enxergar a Matemática como algo que se afirma em si mesma, que busca constantemente bases mais sólidas. De sorte é preciso atestar em nossa prática docente a polivalência da ferramenta-ciência chamada de Matemática.
A história pode auxiliar a compreensão de tais necessidades, uma vez que pode-se pensar em Matemática em si mesma. Pode-se através da sua História ver que tais ferramentas o são porque poderiam compor os argumentos de diversos profissionais, porque a mesma trigonometria se enquadra e evolui de forma contínua e diretamente proporcional a finaliade que dela se extrai. É preciso demonstrar constantemente essa auto-afirmação desse saber, é preciso não fragmentar mais sim evidenciar um constante diálogo entre as muitas partes que compõe o todo. É preciso que se deixe claro que não há distinção de uma Matemática e outra, é preciso reconsiderar o lugar da Matemática no conjunto do conhecimento humano. É necessário, difundir a beleza de Matemática na obtenção e cultivo da imaginação. É fato, que nossos alunos devam sentir como e por que a Matemática se constitui num espaço expressão do poder, que mecanismos manipulatórios e que inibições causam esse poder de argumentação. Que discurso é esse?
Por tudo isso, vejo que a importância da História da Matemática na formação do professor como condutor dessas práticas tão desejadas pela Educação, o saber no saber em si.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário